Pages


sábado, 26 de junho de 2021

ELEIÇÕES 2022; O PRAGMATISMO UNIRÁ OS ADVERSÁRIOS

Por ipuemfoco   Postado  sábado, junho 26, 2021   Sem Comentários



Parece não haver dúvida de que o governador Camilo Santana será candidato ao Senado na eleição de 2022.

 

Mas várias perguntas surgem, a primeira das quais é esta: sua candidatura integrará uma aliança com o PDT dos irmãos Ferreira Gomes ou será sustentada por outra, liderada pelo MDB do ex-senador Eunício Oliveira?

Outra questão que se levanta é a seguinte: quem será seu suplente no Senado? 

Todas as apostas, neste momento tão distante do pleito de outubro do próximo ano, indicam, como companheiro de chapa de Camilo Santana, o nome do industrial Beto Studart, ex-presidente da Fiec, que está em permanente atividade política, recebendo prefeitos e deputados para tratar de eleição.

A possibilidade de o PT reconquistar a Presidência da República, como estão a indicar as pesquisas, confere ao governador Camilo Santana uma força tamanha que o catapulta à liderança do processo eleitoral cearense. 

Esta coluna ouviu que, nos corredores do Palácio da Abolição, se admite, por uma necessidade pragmática, que será possível manter a aliança do PT com o PDT no nível estadual, com o que estaria definida a chapa majoritária: Roberto Cláudio para governador do Estado, alguém do PT para vice, Camilo Santana para o Senado, com Beto Studart na suplência, e Eunício Oliveira para a Câmara dos Deputados.

E para presidente da República? – eis outra pergunta.

Resposta: todos seriam, de novo, pragmáticos, ou seja: na corrida presidencial, cada qual ocuparia o seu quadrado: o PDT com Ciro Gomes, o PT e o MDB com Lula. 

E para onde iria a terceira via de Domingos Filho e seu grupo? – é outra indagação.

Resposta: Pelo mesmo princípio do pragmatismo, tenderiam a compor com as forças dominantes, consolidando seu poder em Tauá e ampliando-o em outras áreas do estado. 

Essa terceira via poderá até eleger os Domingos – o filho para a Assembleia Legislativa e o neto novamente para a Câmara dos Deputados. 

Pelo que se vê e pelo que vai acontecendo, não haverá espaço para a oposição no Ceará, a não ser que a popularidade do presidente Bolsonaro retorne aos índices de setembro de 2018, o que parece difícil tendo em vista a campanha cerrada contra ele e seu governo em todos os veículos da grande mídia, que reverberam o que fazem e o que dizem os oposicionistas da CPI da Covid.

Se acontecer esta hipótese, o candidato da oposição ao governo do Ceará será o capitão Wagner ou o senador Eduardo Girão. Porém, se for mantido o cenário de hoje, talvez as forças que fazem oposição a Camilo Santana nem tenham candidato.

Repita-se: esta é a cena deste momento. Mas a política, como nuvem, muda de acordo com a velocidade do vento.DN

Sobre o autor

Adicione aqui uma descrição do dono do blog ou do postador do blog ok

0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
.
Voltar ao topo ↑
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

© 2013 IpuemFoco - Rádialista Rogério Palhano - Desenvolvido Por - LuizHeenriquee