Pages

quarta-feira, 20 de março de 2019

FORTALEZA SERÁ PRIMEIRA CIDADE DO BRASIL A RECEBER ANÁLISE DE ATENDIMENTO EMERGENCIAL DO SUS

Por ipuemfoco   Postado  quarta-feira, março 20, 2019   Sem Comentários


A secretária do Ministério da Saúde deve visitar hospitais e postos da Capital para iniciar a implantação do estudo do serviço de emergência.
Para entender as necessidades dos serviços de emergência fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), uma análise das atividades de unidades hospitalares de 100 municípios será realizada. 

A primeira cidade a receber o projeto piloto de dimensionamento do sistema é Fortaleza. Na manhã desta quarta-feira, 20, a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (STGES) do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, reuniu-se com o secretário da Saúde do Estado, Carlos Roberto Martins, o Cabeto, para discutir a implantação do estudo na Capital.

Indicadores das práticas de emergência de Fortaleza devem começar a ser analisados por técnicos do ministério e da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Número de unidades de saúde, quantidade de profissionais que trabalham em cada uma, o tempo de permanência hospitalar dos pacientes, demora no atendimento e taxa de mortalidade são alguns dos dados que serão colhidos, de acordo com Mayra Pinheiro. “Depois de coletar as informações, vamos pegar modelos padrões, comparar com o que temos e sugerir adaptações”, diz a secretária.

Fortaleza foi escolhida para ser a primeira cidade a passar pelo projeto por também ser incluída em outras atividades de redimensionamento das forças de trabalho nos atendimentos emergenciais. A união das iniciativas federais e estaduais no Ceará deve ser modelo para as outras 100 cidades que participarão do projeto. Segundo o titular da Sesa, desde janeiro o Ceará trabalha na montagem do diagnóstico desse serviço. Com a parceria, Carlos espera que sejam apresentadas novas metodologias e inovações para fazer o estudo.

Nesta tarde, Mayra deve visitar o Hospital Geral de Fortaleza, o posto de saúde Maurício Matos Dourado e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Yolanda Queiroz.

“Nossa preocupação hoje é que sabemos que as emergências brasileiras têm profissionais que muitas vezes não estão treinados para o bom desempenho frente situações de urgência, que requerem rapidez e habilidades especiais”, diz Mayra. Um dos objetivos principais da análise, para a secretária, é traçar necessidades de formação dos profissionais da saúde e proporcionar a capacitação por meio de recursos públicos. “Isso vai resultar em economia para o Estado, eficiência para o paciente e melhoria das condições de trabalho para os profissionais”.

Mayra afirma ainda que não é possível dizer se o estudo resultará em cortes ou aumento de verbas para a saúde pública, pois vai depender das respostas aos questionamentos da análise. 

“É possível ter número de profissionais além do que deveria em algum lugar, porém sendo mal utilizados, pois não garantem eficiência para o serviço. Ou talvez exista sobrecarga de trabalho que não permite a execução das boas práticas e vamos precisar sugerir aumento de contratações”.OPOVO

Sobre o autor

Adicione aqui uma descrição do dono do blog ou do postador do blog ok

0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo ↑
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

© 2013 IpuemFoco - Rádialista Rogério Palhano - Desenvolvido Por - LuizHeenriquee