Pages

terça-feira, 20 de novembro de 2018

DILMA SOBRE MORO MINISTRO;''TEM BATOM NA CUECA''

Por Rogerio Palhano   Postado  terça-feira, novembro 20, 2018   Sem Comentários

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (19.nov.2018) que a escolha de Sérgio Moro para o Ministério de Justiça e Segurança Pública do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), é 1 “batom na cueca“.
“A gente pode escolher entre duas metáforas: ou o rei, no caso o juiz, está nu, ou, como dizemos no Brasil, tem ‘batom na cueca’“, disse a ex-presidente em discurso no 1º Foro Mundial do Pensamento Crítico, realizado pela CLACSO (Conselho Latino-americano de Ciências Sociais), em Buenos Aires, na Argentina.

Para Dilma, o fato de o militar optar pelo responsável por processos em 1ª instância da operação Lava Jato no Paraná representa o uso da Justiça para “condenar, perseguir e interditar“.

Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 1ª instância, no caso do tríplex do Guarujá, a 9 anos e 6 meses de reclusão. O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) ampliou a pena de para 12 anos e 1 mês. Lula, que liderava as pesquisas de intenção de voto, ficou inelegível.

O discurso de Dilma durou cerca de 50 minutos. A petista fez considerações sobre o momento político brasileiro, a situação da Argentina, a prisão do ex-presidente Lula, o papel da Justiça e da Lava Jato a eleição de Jair Bolsonaro (PSL).

Para a ex-presidente, a eleição do militar fez o Brasil sair de uma “democracia pra entrar na variante liberal de 1 neofascismo“, que classificou como “1 regime de exceção diferente das ditaduras militares que conhecemos“.

Dilma também argumentou que a vitória do militar na reserva decorreu de uma omissão do Brasil durante o período de transição democrática em julgar o que considerou 1 “terrorismo de Estado” praticado durante o regime militar.

‘Era inimaginável, no Brasil, que a extrema direita ganhasse 1 processo eleitoral‘ afirmou.

A petista afirmou ainda, que a impugnação da candidatura de Lula, “contra quem não há provas, mas delações absolutamente frágeis”, como uma das razões para a vitória de Bolsonaro.

Na 3ª feira (20.nov.), é aguardado 1 discurso de Fernando Haddad (PT) e Manuela d’Ávila (PC do B), candidatos a presidente e vice-presidente da chapa derrotada no 2º turno das eleições de 2018.

Do Poder 360

Sobre o autor

Adicione aqui uma descrição do dono do blog ou do postador do blog ok

0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo ↑
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

© 2013 IpuemFoco - Rádialista Rogério Palhano - Desenvolvido Por - LuizHeenriquee