Pages

domingo, 2 de setembro de 2018

PT PREFERE DESCONSTRUIR TSE A CONSTRUIR HADDAD

Por Rogerio Palhano   Postado  domingo, setembro 02, 2018   Sem Comentários

“O PT se rende à decisão do TSE. (…) Nós perdemos hoje aqui”, disse, na madrugada de sábado, o advogado de Lula, Luiz Fernando Casagrande. 


Com sua rendição, o doutor convenceu os ministros da Corte máxima da Justiça Eleitoral a manter a propaganda do PT no ar. O advogado deu o braço a torcer: “Lula está fora. Ele não pode mais aparecer como candidato a presidente. O partido vai cumprir a decisão.'' Os ministros deram-lhe crédito. E fizeram papel de bobos.

Nos seus programas inaugurais no horário político do rádio e da TV, o PT manteve Lula como cabeça de sua chapa. E ainda aproveitou o tempo de propaganda que o TSE autorizou a usar para espinafrar o próprio tribunal. “…A vontade do povo sofreu mais um duro golpe com a cassação da candidatura de Lula pelo TSE”, afirma um locutor na abertura do programa petista. 

Relator do voto que prevaleceu no caso Lula, o ministro Luis Roberto Barroso, além de barrar a candidatura do presidiário, retirara o PT do ar. Enquanto não fosse providenciada a troca do candidato, o tempo do partido na TV seria preenchido apenas por uma tela azul. Graças ao advogado Casagrande, esse pedaço da decisão foi revertido numa reunião dos ministros do TSE a portas fechadas.

A acidez da campanha petista tem efeitos negativos no campo jurídico e também na seara política. Juridicamente, as críticas do partido ao Judiciário transformaram Lula num colecionador de derrotas. Já amargou infortúnios na primeira instância (Sérgio Moro), na segunda (TRF-4), na terceira (STJ) e também na quarta (STF).

Politicamente, o PT retarda a eletrificação do seu novo poste. O verbo preferido do partido na campanha é desconstruir. Conjugando-o, o petismo desperdiça um tempo que poderia utilizar na construção da imagem de Fernando Haddad, cuja foto substituirá a de Lula na urna. Hoje, Haddad frequenta as pesquisas com um percentual de intenção de votos nanico: 4%).

É grande a capacidade de Lula de transferir votos, indicam as pesquisas. Mas a campanha é curta (apenas 45 dias) e o cabo eleitoral está preso. O slogan “Lula livre” serve para acender os devotos já convertidos. Isso pode levar Fernando Haddad para o segundo turno. Mas é insuficiente para devolver o PT ao Planalto.

A retórica azeda talvez não traga de volta os votos da classe média. Uma gente conservadora que acreditou na Carta aos Brasileiros, o documento em que Lula renegou o receituário radical que o impedia de chegar à Presidência da República. 

Sem esse pedaço do eleitorado, será mais difícil vencer. Nesta segunda-feira, Haddad visitará Lula na cadeia, em Curitiba. Vão discutir a estratégia da campanha.

Sobre o autor

Adicione aqui uma descrição do dono do blog ou do postador do blog ok

0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo ↑
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

© 2013 IpuemFoco - Rádialista Rogério Palhano - Desenvolvido Por - LuizHeenriquee