Pages

quarta-feira, 28 de março de 2018

CIRO CRITICA POLITIZAÇÃO DA JUSTIÇA BRASILEIRA

Por Rogerio Palhano   Postado  quarta-feira, março 28, 2018   Sem Comentários

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) criticou nesta terça-feira (27) o que vê como uma entrada da Justiça brasileira na política. 


Para ele, é isso que acontece em momentos como a entrevista do juiz federal Sergio Moro ao programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda (26) e na transmissão de julgamentos do Supremo Tribunal Federal, como a discussão sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Me incomoda, por definição, juiz dar entrevista. Sou da velha guarda. Um juiz, ao explicitar valores, ele entra na política. Este é o universo da política. O juiz deveria se circunscrever a colocar sua sabedoria jurídica e imparcialidade a serviço dos autos", disse, após uma palestra na Universidade de Sussex, no sul da Inglaterra.

Ciro disse que não chegou a assistir à entrevista de Moro, mas afirmou achar essa politização da Justiça exótica, em suas palavras. "Uma TV Justiça transmitindo ao vivo um julgamento, isso é muito terceiro-mundista, muito provinciano para o meu gosto", disse.

Para ele, um juiz tem que ter transparência não em entrevistas, mas nos autos. "Essa é a transparência que se espera. Se não, é o universo da política. E a política, por definição, é o contraditório. A verdade, na política, é uma confrontação dialética de posições antagônicas", disse.

Para o pré-candidato, a viagem para dar palestras em universidades na Europa e nos Estados Unidos, para onde vai em abril, é importante não só por questão de prestígio. "Meu objetivo era tentar formar uma corrente de opinião", disse.

Segundo ele, é importante gerar um debate amplo sobre o país, pois "a população não presta atenção em política", disse. "A população tem uma vida muito dura, difícil, e a política, para ela, é um ruído que quase sempre vem associado com coisa muito ruim, muito decepcionante, muito frustrante. Isso tem a ver com este momento do país", disse o pré-candidato.

Apesar da avaliação, ele disse que ninguém é capaz de superar a vontade popular na escolha de seus governantes, e que o Brasil é um país de tendência autoritária. "Nós, brasileiros letrados, temos uma certa impaciência com a democracia. […] Democracia é regime de conquista, que presume um cidadão treinado para isso. Não somos treinados. Nosso povo não foi treinado. Nossa história é uma história autoritária. Somos um país autoritário, elitista, escravista", disse.

Ciro minimizou o impacto da manipulação de informações em redes sociais e disse acreditar na inteligência do povo. 

"Boato existe desde que existe eleição. Você tem que apostar na inteligência do povo. Hoje eu tenho um lugar para responder."

Para ele, o escândalo da Cambridge Analytica, acusada de manipular eleitores nos EUA na eleição de Donald Trump e no plebiscito do "brexit", saída britânica da União Europeia, parece exagero. 

"Isso é mentira. Você pode até ter agregado em cima de uma tendência poderosa alguma coisa", disse. Com informações da Folhapress.

Sobre o autor

Adicione aqui uma descrição do dono do blog ou do postador do blog ok

0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo ↑
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

© 2013 IpuemFoco - Rádialista Rogério Palhano - Desenvolvido Por - LuizHeenriquee