Pages

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

CIRO DIZ QUE O PT ''BEIJOU A CRUZ' 'DOS BANCOS

Por Rogerio Palhano   Postado  quarta-feira, outubro 18, 2017   Sem Comentários


“Os bancos obrigaram o PT a beijar a cruz. Eu não vou beijar. Se não der, vou ficar assistindo de fora.” Ciro Gomes,

pré-candidato do PDT à Presidência em 2018, assim traçou a diferença de seu pensamento econômico com o dos governos Lula, de quem foi ministro da Integração Nacional (2003 a 2006), e Dilma.

Ela falava, na segunda-feira (16), a estudantes da Faculdade de Economia e Administração da USP sobre seu“antagonismo com o rentismo” e sobre a disposição em trazer os “juros para um padrão menor”.

Ex-governador do Ceará e ex-ministro da Fazenda de Itamar Franco, Ciro Gomes defendeu, além da diminuição dos juros, “um ciclo de reindustrialização forçada”.

Agenda
Sua agenda, diz, “converge iniciativa privada e Estado saneado”, oferecendo crédito e renúncia fiscal a setores que considera estratégicos: agronegócio, saúde, defesa e indústria de óleo e gás. 


“Temos que introduzir no debate um modelo tributário não com a ilusão de que temos carga tributária grande demais –e até temos, mas ela é gravemente regressiva”, afirmou Ciro. 

Para ele, é necessário discutir a tributação sobre heranças e doações. “Sobre o povo mais pobre, ela [carga tributária] chega a 42% [da renda]. Sobre os ricos, não passa de 12%.”

Programa


Essas ideias ainda integrarão seu programa de governo, a ser discutido com futuros aliados: “Quando eu for entrar numa aliança, os partidos consultados vão dizer se isso não é oportuno”. 

Estarão, porém, em um novo livro sobre política econômica que o presidenciável pretende lançar até 2018. Nesse meio tempo, Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, costura os palanques regionais, com 11 candidaturas majoritárias (a senado ou governo estadual) definidas.

Disputa


Sem Lula, Ciro tem 10% das intenções de voto para presidente, segundo a última pesquisa Datafolha. É o mesmo patamar de Geraldo Alckmin e João Doria, ambos do PSDB. Com o petista, fica com 4% da preferência -o ex-presidente lidera, com 35%. 

À reportagem o pedetista disse apostar que “em dezembro, [Doria] está fora do baralho”: 

“Ele não é do ramo. Torrou o orçamento de São Paulo, queimou as pontes. Perdeu o timing para fazer acordo por dentro [do partido] e ser eventualmente candidato a governador. Colidiu com o cara que o inventou e passou para a população a ideia de que é carreirista, não tem compromisso”. Alckmin, diz Ciro, pode ser afetado pelos “erros” do PSDB, “que está segurando nas alças do caixão do governo Temer”.

Lula
Sobre Lula, o pedetista comenta que espera que o ex-presidente seja absolvido, “mas entenda que a candidatura dele é um desserviço a ele e ao país”, porque “passionaliza o ambiente” com “ódios, rancores e violência”. 


Para Ciro, o ex-presidente deveria “convocar um grande debate que unificasse as forças progressistas do país”. 

“Ele daria o maior exemplo de liderança, de preocupação com o país e não com mero petismo frustrado com a onda antipetista”, afirmou.

Apoio


Lula deveria apoiar Ciro Gomes? 

“Não digo necessariamente, senão perco a moral da tese. Evidentemente, não se inventarão candidatos. Mas eu me ponho como um dos possíveis. Não me ponho como o candidato. Digo que depende do PDT, só.”
Com informações da Folha

Sobre o autor

Adicione aqui uma descrição do dono do blog ou do postador do blog ok

0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo ↑
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

© 2013 IpuemFoco - Rádialista Rogério Palhano - Desenvolvido Por - LuizHeenriquee